Dia Internacional dos Quadrinhos

Oiie queridos leitores, hoje eu vou falar de um assunto muito importante para o mundo literário, O dia Internacional das Histórias em Quadrinhos (HQ), pra quem não sabe um HQ é uma forma de comunicação e expressão gráfica e visual, ou seja, sequência de quadros com desenhos e textos com o objetivo de narrar histórias de vários gêneros, você já deve ter visto uma, como por exemplo, a Turma da Mônica do Maurício de Sousa.

Veremos abaixo um pouco mais do surgimento e crescimento dessa arte.

The Yellow Kid

A primeira história em quadrinhos foi criada pelo americano Richard Outcalt em 1895, com o The Yellow Kid (‘O Menino Amarelo’), Mickey Dugan, o personagem principal, era uma criança careca, dentuço e com um sorrisão no rosto, e estava sempre usando uma camisola amarela. Apesar dos balõezinhos serem usados para mostrar as falas dos personagens, o garoto amarelo só se comunicava através de mensagens na camisola.

Nas primeiras décadas os quadrinhos tratavam de conteúdos humorísticos envolvendo travessuras de crianças e bichinhos, depois da crise na Bolsa de Valores em 1929 os quadrinhos foram invadidos pelo gênero de aventuras. As HQs Flash Gordon, de Alex Raymond, Dick Tracy, de Chester Gould e a adaptação de Tarzan por E. R. Borroughs iniciaram a Era de Ouro. A década de 30 foi marcada pelos gêneros ficção científica, policial e aventuras na selva.

Ao final da década, o primeiro super-herói, Superman, foi criado por Siegel e Shuster que vendeu seus direitos para a DC Comics.

Com o início da II Guerra Mundial, os quadrinhos começaram a despertar interesses políticos, sendo representado fortemente pelo Homem de Aço. Entre 1940 e 1945 foram criados 400 super-heróis aproximadamente, mas muitos deles não sobreviveram, vários personagens se alistaram para a guerra tornando os quadrinhos armas ideológicas que elevavam a moral dos soldados e povo. Entretanto, o maior ícone desse período foi o Capitão América, de Jack Kirby e Joe Simon, já que foi criado com esse objetivo, na capa da revista ele combatia o Adolf Hitler, usando apenas um escudo.

Captain America

Nos anos 50, os quadrinhos foram perseguidos pelo psiquiatra Frederic Wertham que acusava as HQs de delinquência juvenis, a discórdia entre irmãos e até de estimular o homossexualismo através de seu livro ‘A Sedução do Inocente’ (The Seduction of the Innocent). Com isso houve muito rebuliço e muitas revistas foram queimadas em público, o congresso americano começou uma investigação nas indústrias de quadrinhos e as editoras resolveram criar um código de ética para censurar os conteúdos produzidos, uma autocensura. Foi nessa época que surgiu uma tira, da ‘ turma do Snoopy’ que marcou o começo da era intelectual nos quadrinhos, fazendo os textos serem mais valorizados.

Nos anos 60, começo da Era de Prata, foi criado vários heróis que se tornaram destaques até os dias atuais como o Homem-aranha, Hulk, Thor, Homem de ferro, X-men, Quarteto Fantástico entre outros.

A década de 70 foi marcada pelos quadrinhos Underground, ou seja, quadrinhos populares publicados independentes e vendidos de mão em mão em lojas especializadas.

Os anos 80 trouxeram os ‘graphic novel ‘, ou romance gráfico, caracterizado por ser produzida num formato mais luxuoso, com papel especial, histórias diferenciadas e destinadas a um público mais exigente e maduro.

snoopyNa década de 90 os quadrinhos começaram a ter colorização computadorizada e os desenhistas começaram a sofrer influências dos mangás em seus traços. Mas, como o ataque nas torres gêmeas afetou o mercado de HQs, os americanos resolveram resgatar o estilo dos quadrinhos da Era de Prata, na década de 80.

Muitas dessas histórias em quadrinhos foram para o cinema e viraram sucesso tais como Homem-aranha, Hulk, Superman, Batman, Demolidor, V de Vingança, Quarteto Fantástico, X-men, Homem de Ferro, entre outros e que fizeram ainda mais a fama dessas histórias.

No Brasil quem trouxe a primeira história em quadrinhos foi Angelo Agostini, desenhista italiano criador do personagem Zé Caipora e Nhô-Quim, iniciando a tradição de colocá-las em jornais em 1869.

Nos anos 80, vários quadrinistas ajudaram a estabelecer os quadrinhos underground, tais como Angeli, Glauco e Laerte que produziram em conjunto as aventuras de Los Três Amigos.

As HQs ganharam impulso com a 1º e 2º Bienal dos Quadrinhos no Rio de Janeiro em 1991 e 1993 e a 3º em 1997 em Belo Horizonte.

Terminamos por hoje a nossa jornada dos quadrinhos e por isso não poderia deixar de apresentar uma HQ, boa leitura para todos *-*

Beiijinhos e até a próxima pessoal!

mafalda-e-o-sol quino-mafalda

Gostou? Não esqueça de curtir e compartilhar:

11 comentários sobre “Dia Internacional dos Quadrinhos

  1. Mto bom o post, uma verdadeira aula sobre a história das HQs. Nem parece que o homem aranha é tão velho, hehe. E pensar que a primeira HQ foi criada há 118 anos, uau, isso eh mto teempo.

    aaaaah gostei das historinhas no final xD

    1. Aii obrigaada Renan, fico muito feliz por estar passando um pouquinho de cultura aqui e é muito bom refletir como a nossa arte tem se desenvolvido com o decorrer dos anos, o Homem aranha é velho mesmo heein, mas o Superman ganha neeh

      Beiijinhos e até breve!

        1. kkkkk…eu resolvi fazer o post pq vi ele andando de bengalinha outro dia…
          Brincadeirinha, o post foi feito em cima de muita pesquisa, fique tranquilo

  2. Nooosa, que legal!!!
    Eu nem imaginava que ontem era o Dia Internacional das HQs… Meus parabéns meninas, adorei o post! Abraços 😀

    1. Obriigada Bruna, fico feliz por estarmos passando coisas que os leitores não conheciam, ainda, e fique ligada no blog que virão mais posts assim.

      Beiiijinhos e até breve!

Deixe uma resposta