Resenha: Amor de Perdição

amor-de-perdicaoTítulo: Amor de Perdição

Autor: Camilo Castelo Branco

Sinopse: Novela passional publicada em 1862 que consagrou o autor Camilo Castelo Branco e representa um marco do romantismo em Portugal. Destaca o choque entre os representantes de duas gerações: a dos pais que se odeiam – os ilustres fidalgos Tadeu de Albuquerque e Domingos Botelho – e a do jovem casal que se ama loucamente – Teresa e Simão. Este amor sofre forte oposição paterna, Teresa é enviada para a clausura num convento, e, ao estilo de Romeu e Julieta, desventuras e tragédia se sucedem. Amor de perdição pertence à segunda fase do romantismo, em que o amor pode levar até as últimas consequências.A edição de bolso inclui apresentação com contextualização histórica de Sofia de Sousa Silva, especialista em literatura portuguesa.

Domingo José Correia Botelho de Mesquita e Meneses era juiz de fora de Cascais e casou-se com uma dama do paço, chamada D. Rita Teresa Margarida Preciosa da Veiga Caldeirão Castelo Branco. Tiveram cinco filhos, três meninas, Maria, Ana e Rita, e dois meninos, Manuel e Simão.

Simão Botelho aos quinze anos aparenta ter vinte, era valentão e só obedecia sua irmã Rita, enquanto o irmão mais velho, de vinte e dois anos Manuel, cursa o segundo ano jurídico em Coimbra. Devido umas e outras, não tinham um comportamento amistoso um para com o outro.

Como Simão havia quebrado “várias cabeças” com um para-choque de carro, seu pai decide mandá-lo para Coimbra junto de Manuel, onde perde o ano letivo e volta para Viseu. Em apenas cinco meses o comportamento de Simão muda completamente e o motivo da reforma dos dezesseis anos era sua amada vizinha, Teresa de Albuquerque.

Mas o romance entre os jovens era impossível graças a inimizade dos pais. Tadeu, pai de Teresa quer casá-la com o primo dela, Baltasar Coutinho e como ela se recusa, colocam-a num convento.

Simão e Teresa se comunicavam através de cartas enviadas por uma velha mendiga e ao ler uma das cartas de Teresa, o jovem que estava novamente em Coimbra, sente uma enorme vontade de matar Baltasar, mas acaba retornando a Viseu, onde permanece escondido na casa de um parentesco, o ferrador João da Cruz.

Tadeu e Baltasar estavam na frente do convento quando Simão chega para raptar sua amada e de repente começa uma discussão entre os dois pretendentes da moça. Simão descontrolado assassina Baltasar, João da Cruz tenta levá-lo embora para impedir outras desgraças, mas o jovem permanece resistente gritando e confessando o crime a todos que passavam.

Domingos, pai de Simão, enfurecido nem se incomoda que o filho esteja sendo condenado a forca, chega até espancar uma das filhas que pede para ver o irmão antes que o levem para Vila Real e desvia todas as cartas que Rita Preciosa sua esposa, enviava ao filho.

O tio avô de oitenta e três anos, Antônio de Veiga, intervêm dizendo que se mataria na frente de Domingos caso este não libertasse o filho da forca. João da Cruz acaba sendo cruelmente assassinado, então sua filha Mariana transfere todos seus bens a Simão e parte ao degredo com ele. Ao descobrir que Teresa faleceu no convento, Simão adoece e assim que morre, seu corpo é jogado ao mar, junto as cartas que levava em seu bolso.

Mariana pula nas águas desesperada beijando-o, ela sempre o amara secretamente. As cartas que estavam no bolso de Simão são recolhidas por homens da tripulação e entregas a família dele. Rita foi a última a falecer, em 1872, irmã de Manuel Botelho, pai do autor desta magnífica obra, Camilo Castelo Branco.

Uia! Trágico e lindo não?! Sim, linda história se não fosse real, mas mesmo assim é fantasticamente romântica e comovente. Uma das minhas histórias preferidas. Adoro livros românticos onde as pessoas são movidas por amor até o último momento, dando certo ou não, bem alá Romeu e Julieta. E como se não bastasse alguns trechos da história são contados através das próprias cartas dos dois apaixonados <3

Não há nem o que dizer, né?! História clássica e perfeita.

Gostou? Não esqueça de curtir e compartilhar:

2 comentários sobre “Resenha: Amor de Perdição

    1. Fico feliz que você tenha gostado do blog, muito obrigada!
      Visitei seu blog também e também achei bem interessante, bom conhecer outras blogueiras que se dediquem a leitura 🙂

Deixe uma resposta