Resenha: O diário da princesa

O Diário da PrincesaTítulo: O diário da princesa

Autora: Meg Cabot

Sinopse: Mia é uma adolescente como qualquer outra mas, um belo dia, sua vida vira de cabeça para baixo. Normalmente ela só vê o pai no Natal. O pai é na realidade um prí­ncipe, e descobre que não pode ter mais filhos. Mia torna-se a única herdeira do trono de Genovia, transformando-se numa celebridade. Mas descobre que a vida de uma princesa pode ser muito dura. O livro se transformou em filme nas mãos do diretor Garry Marshall e conta com a participação de Julie Andrew e Anne Hathaway.

Achei o livro muito fofo! A meiguice já começa com a capa do livro rosinha e segue pelo formato do livro que lembra muito um diário (dando aquele gostinho de estar lendo os segredos de alguém!) e  depois com a personagem principal que demonstra de uma forma bem divertida o universo feminino de uma adolescente.

A graça do livro é que a personagem principal, Mia de quatorze anos, ao contrário da maior parte das garotas de sua idade, não se sente muito atraída pelo glamour da fama e não cuida muito de sua aparência e de repente ela se torna uma princesa, rodeada de pessoas e com varias tarefas reais para cumprir.

Mia estuda no colégio Albert Einstein High School, em Manhattan, com sua melhor amiga Lilly Moscovitz e ao longo da história, Mia aparenta gostar de Michael Moscovitz, irmão de Lilly.

Sua vida estava uma confusão, como seus pais eram separados, sua mãe vivia trocando de namorado e “cara” da vez é Frank Gianini, seu professor de álgebra, matéria que ela não ia muito bem. E como se não bastasse, não tendo opções, seu pai conta que é rei de Geonovia e no caso de sua falta, Mia é a herdeira do trono pois ela é a única princesa.

Ao contrário de muitas garotas, ela não gosta da ideia e se vê obrigada a frequentar aulas de princesa com sua avó, Grandmmére, que acaba transformando-a “numa cópia” de Alana, a garota mais exibida e irritante do colégio, o que é um choque para Lilly já que Mia não havia contado nada disso à ela.

O desfecho é surpreendente e deixa aquele gostinho de quero mais… E se você for um leitor compulsivo, cuidado! Mantenha as mãos longe do mouse para não sair comprando os próximos livros sem pensar em suas finanças… Pois o fim do livro vai te deixar louquinho pra devorar os demais livros da série!

A história também possui um filme chamado “O diário da princesa 1” ( e também tem o segundo filme, baseado no segundo livro da série) e eu como boa leitora que sou, li o livro primeiro para depois assistir. Para quem ainda não assistiu o filme e nem leu o livro, recomendo ler o livro antes. Mas porque ler antes? Porque é mais divertido poder imaginar os personagens e cenários de seu jeito e depois “brincar de comparar” com a visão da história criada pelos produtores do filme.

Encontrei o trailler do primeiro filme, somente em inglês, mas acho que tá valendo, né?!

lena rico

Leia a resenha do próximo livro da série: A princesa sob os refletores.

Gostou? Não esqueça de curtir e compartilhar:

7 comentários sobre “Resenha: O diário da princesa

  1. Your original take on this topic has me thinking about many of the points you shared in this article. This is great content with substance.

  2. *Youre so cool! I dont suppose Ive read anything like this before. So good to discover somebody with some original thoughts on this subject. realy thank you for starting this up. this site is something that is needed on the web, someone with slightly originality. valuable job for bringing something new to the internet!

    1. With so much praise I’m ashamed … It’s so good to know that my texts are useful and pleasing to readers. I hope you continue visiting us, we will soon have new post on the website … There, if possible, I would ask you to answer our questionnaire so we can learn more about you as our reader: http://pt.surveymonkey.com/s/ZPTMYPP
      Thank you.

  3. But wanna remark on few general things, The website style and design is perfect, the content material is real superb. “The way you treat yourself sets the standard for others.” by Sonya Friedman.

Deixe uma resposta