Infância perdida

querido-johnLi um post bem interessante no nosso mais novo parceiro, o blog KV com você!. O post chamado “Engostosaram” a Barbieme inspirou a criar um post similar, no caso este.

Assim como a Karla do KV com você!, eu também não me conformo quando vejo crianças se vestindo como adultos e algumas, inclusive tentando agir como tal…

A infância é época de pular corda, amarelinha, brincar pega-pega, pique-esconde, brincar de boneca ou bichinhos de papel, jogar video-game, navegar pela internet, assistir filmes e episódios de desenhos animados repetidos, ter medo do bicho papão e correr para cama dos pais no meio na noite… E iniciar o dia seguinte igualmente ao anterior sem se preocupar com absolutamente nada.

Mas ao invés de ver crianças brincando, constantemente vemos crianças se maquiando, se vestindo como adultos, beijando na boca e até namorando. Na verdade eu não acho um absurdo ver as crianças fazendo tais coisas, até porque, elas são crianças e não tem noção do que fazem. O que eu acho um absurdo é os pais verem tais atitudes de seus filhos e rotularem como “fofa” e “inocente”.

Talvez seja porque eu tenha a “Síndrome de Peter Pan” e fico morrendo de felicidade sempre que alguém diz que eu pareço ter três ou quatro anos a menos do que realmente tenho, mas acho ridículo crianças desperdiçando a infância para consumir cada vez mais cedo um padrão imposto pela sociedade.

Não me interpretem mau, mas o que estou tentando dizer é que não há nada de bom em simplesmente “parecer mais velho”. No entanto, envelhecer é algo muito bom, pois só com o passar do tempo podemos acumular conhecimento. Para podermos “envelhecer”, devemos percorrer todas as etapas da vida: a infância, adolescência, fase adulta e velhice.

Cabe então, aos adultos ensinar as crianças aproveitar e respeitar o ciclo da vida, galgar cada fase em seu determinado tempo, sem sacrificar nenhuma delas,  para que possam colher bons frutos quando dezembro chegar.

Fonte: imagem

Gostou? Não esqueça de curtir e compartilhar:

Deixe uma resposta