Resenha: A Hospedeira

Título: A Hospedeira

Autor: Stephenie Meyer

Sinopse: Nosso planeta foi dominado por um inimigo que não pode ser detectado. Os humanos se tornaram hospedeiros dos invasores: suas mentes são extraídas, enquanto seus corpos permanecem intactos e prosseguem suas vidas aparentemente sem alteração. A maior parte da humanidade sucumbiu a tal processo. Quando Melanie, um dos humanos “selvagens” que ainda restam, é capturada, ela tem certeza de que será seu fim.

Peregrina, a “alma” invasora designada para o corpo de Melanie, foi alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, o excesso de sensações, a persistência das lembranças e das memórias vívidas. Mas há uma dificuldade que Peregrina não esperava: a antiga ocupante de seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente. Peregrina investiga os pensamentos de Melanie com o objetivo de descobrir o paradeiro dos remanescentes da resistência humana. Entretanto, Melanie ocupa a mente de sua invasora com visões do homem que ama: Jared, que continua a viver escondido.

Incapaz de se separar dos desejos de seu corpo, Peregrina começa a se sentir intensamente atraída por alguém a quem foi submetida por uma espécie de exposição forçada. Quando os acontecimentos fazem de Melanie e Peregrina improváveis aliadas, elas partem em uma busca incerta e perigosa do homem que ambas amam.

Vamos fazer uma pequena brincadeira. Pense em alguém que você ama. Você conseguiria amá-la(o) do mesmo jeito se ela(e) fosse uma flor? Um Urso? Alguém com rosto grotesco?  Qual a certeza de que você a(o) amaria em qualquer corpo? O quanto você conhece dessa alma? Você conseguiria reconhecê-la(o) em qualquer lugar?

Bem, depois que terminei a leitura deste livro comecei a ter esses pensamentos, sem falar dos sonhos. Meus sonhos andam muito remexidos, bem diferente do que o normal.

Nas primeiras páginas eu achei a estória bem confusa, mas interessante. Continuei lendo e logo estava completamente apaixonada pelo enredo e pelos personagens, foi quase impossível deixar de lê-lo, teve um dia que precisei me afastar do livro por uma noite e comecei a sentir os sintomas de abstinência, foi muiiiiiiiiiiito doido (risos).

Bem, a Stephenie escreve muiito bem, neste livro ela aborda algumas características da humanidade, como por exemplo: A determinação do ser humano de continuar lutando até o fim, mesmo quando a luta parece perdida; também podemos ver a tendência do ser humano de praticar atrocidades. Essa habilidade dos escritores de explorarem alguns sentimentos intrínsecos do ser humano, que são aflorados por situações extremas (mas nem tanto) é supervalorizada por mim. Sem falar que ela deu outro rumo para a figura alienígena,  que eu gostei.

O livro é bem grandinho, passa das 500 páginas e nele nossa personagem principal Mel/Peg vivencia muitas aventuras diferentes, e ambas evoluem muito no decorrer da estória. Então, resumidamente, amei o livro e recomendo para todos os fãs de ficção cientifica e romance 🙂

Gostou? Não esqueça de curtir e compartilhar:

3 comentários sobre “Resenha: A Hospedeira

    1. Vi sim. Achei o começo bem legal, mas do meio para o fim achei que perdeu um pouco a qualidade. Mas no geral eu gostei.
      bjs

Deixe uma resposta