Poupe, não seja um vida louca

Há dois anos atrás, comecei a reparar que os gastos em casa (em geral) estavam muito altos e que pareciam aumentar a cada mês… Decidi guardar os cupons ficais de cada compra e analisar ao final de um mês. Horrorizada com o valor e iniciante no mundo das finanças pessoais, decidi procurar alguns cursos on-line que pudessem me ajudar a economizar um pouquinho.
Acessei alguns sites com dicas interessantes e com o passar do tempo fui adaptando os métodos ao meu estilo de vida e o que antes parecia enfadonho, foi tornando-se divertido.
Economizar é uma coisa que deveríamos aprender desde criança, mas a maioria de nós só aprende (ou tenta aprender) quando já somos adultos, precisando se manter com o próprio salário ou quando não estamos conseguindo mais se manter 
com ele.parecia enfadonho, foi tornando-se divertido.
Guardar dinheiro pode parecer difícil, mas não é tanto quanto parece. Aprender a poupar, é apenas uma questão de hábito e pode ser um hábito bem agradável.
O primeiro passo a seguir é contabilizar
Aqui você não irá se controlar, nem abandonar seus gastos supérfluos. Você irá apenas criar o simples hábito (porém essencial) de planilhar seus gastos. Ou seja, se você comprar um salgado de R$2,00 e um refrigerante de R$1,50, irá guardar o comprovante e anotar o valor na planilha. Caso você compre e o estabelecimento não dê comprovante, anote o valor em algum papel ou no celular, de modo de que você adicionar os gastos fielmente na planilha assim que chegar em casa.
No final do mês, você verá de forma clara e cruel como está gastando seu salário.
Baixe a planilha modelo AQUI.
Regra verde: anote tudo o que comprar
Após identificar o vilão, precisamos montar um plano para acua-lo.
Agora que já sabemos quais estão sendo nossos gastos, podemos planejar o que iremos gastar o mês inteiro de forma bem realista e eliminar os gastos supérfluos. Crie uma planilha de orçamento (ou baixe por AQUI) em que irá anotar os valores que você ganha por mês, os gastos básicos planejados (casa, água, luz, telefone, remédio, mercado e etc…), o que deverá sobrar e os gastos reais. Sempre que pagar alguma conta, anote na planilha e observe se está conseguindo se manter dentro dos valores planejados.
Compare-os ao final do mês e tente se manter dentro dos valores planejados.
Obs: Faça um planejamento realista, economizar não significa que você deva andar pelado e passar fome.
Regra verde: faça planilha de orçamento
 Não misture o sal com o açúcar!
Vamos supor que você fez um bico de R$100,00  e algumas horas extras no valor de R$121,75 nesse mês. Você deverá anotar o valor total (R$221,75)  na planilha de orçamento e irá anotar os valores individuais nessa outra planilha. Nesta mesma planilha, anote também as despesas que não foram planejadas na planilha de orçamento. Ex: uma barra de chocolate, um lanche com os amigos, etc…
Regra verde: não esqueça a regra número um.
Mate o monstro antes de festejar
Possui alguma dívida? Isto inclui parcelamentos de automóvel, casa própria, compras pela internet ou o que quer que seja. Se possuir alguma, pague-a! Dívidas apenas acabam com o seu dinheiro… Dívidas normalmente estão ligadas a juros aparentemente pequenos, no entanto quando as dívidas são em grande quantidade  (três ou quatro parcelamentos), os juros se transformam em valores relevantes. Portanto, faça um calendário de eliminação de dívidas(clique aqui para baixar).
Assim que eliminar suas dívidas, evite fazer mais. Trabalhe apenas com o dinheiro que tem. Mas e se você quer muito comprar aquele livro (ou talvez um celular)?! Junte o valor total, depois compre a vista.
Regra verde: fuja do monstro, quer dizer, evite dívidas.
Planeje o planejamento
Faça uma planilha com um planejamento de gastos programados (incluindo o valor padronizado que deverá ir para poupança regularmente). O diferencial desta planilha é que o planejamento de sua renda é baseado em percentual, sendo ainda mais realista.
Regra verde: crie regras para usar o seu dinheiro e siga-as.
Pense grande, crie metas.
Planeje a sua poupança para um período de cinco ou dez anos. Loucura? Não, apenas pense grande. Inicie com valores pequenos (que não lhe farão falta) e aumente proporcionalmente a cada mês, até chegar em um valor padronizado. Inicie guardando três reais (sim, isso mesmo!), no próximo mês seis, depois nove e assim por diante, até estabelecer um valor ideal.
Faça os cálculos planejando guardar esses valores por cinco ou dez anos e veja o quanto poderá acumular dentro deste período (quer dizer, deixar de desperdiçar).
Lembre-se, dinheiro guardado, nunca é luxo ou sinônimo de avareza. Você pode precisar futuramente por possíveis imprevistos (saúde, desemprego, etc…) e o que irá fazer se você viveu uma “vida louca”, regada a gastos desnecessários e carpem diem durante tanto tempo e não preveniu contra isso???
Regra verde: não espere ficar doente. Ooops, o que eu quis dizer foi, planeje sua poupança e poupe.
 Poupe, mas nunca vire o Tio Patinhas!
Economizar é uma coisa, comprar produtos de qualidade duvidosa (principalmente se forem produtos alimentícios ou ligados a saúde) e fazer barraco em comércio por causa de um centavo, definitivamente é outra!
E se você não sabe, essa outra coisa se chama: “pobreza de espirito”. Isso mesmo, sempre ouvi os mais velhos dizerem “Dinheiro não aguenta desaforo!” e não aguenta mesmo, seja com você ou com os outros… Lembre-se: dinheiro acumulado de maneira desprezível, torna-se desprezível também!
“Mas eu conheço Num Sei Quem das Quantas, e ele faz isso e tem muito dinheiro…”.
Seja você alguém melhor que ele, se ele faz errado, não faça igual, não aponte o dedo na cara dele, não zombe pelas costas… Faça o certo e esqueça o erro dos outros.
Regra verde: Poupe para garantir seu futuro, não para maltratar os outros.
Cursos indicados:

Gostou? Não esqueça de curtir e compartilhar:

Deixe uma resposta