Resenha: Meu pai fala cada m*rda

Título: Meu pai fala cada m*rda

Autor: Justin Halpern

Sinopse: Aos 28 anos, depois de ser dispensado pela namorada, Justin Halpern volta a morar com o pai, Sam Halpern, de 73 anos. Na infância, Justin morria de medo dele, tão mal-humorado, direto e desbocado que beirava a grossura. Agora, já adulto, ele passa a admirar a mistura de franqueza e insanidade que caracteriza os comentários e a personalidade do pai, que considera ‘sábio como Sócrates e até mesmo profético’. Disposto a registrar a sabedoria contida nas tiradas de Sam, Justin cria uma página no Twitter para reunir suas frases malucas e observações ridículas. A obra traça um retrato da relação pai e filho e aborda temas da vida – medo, amigos, estudo, namoro, esporte, família. 

Este livro super hilário, mostra que o fracasso e a vitória são as duas facetas da moeda e que a gente pode aceitar o pé na bunda que a vida nos deu ou erguer a cabeça e tentar a sorte outra vez.

Aos 28 anos,  Justin Halpern recebe uma proposta de emprego e decide partir de Los Angeles e se mudar para San Diego para morar com sua namorada, com quem até então mantinha um relacionamento a distância.

Tudo estava minuciosamente planejado e teria dado perfeitamente certo, se não houvesse ocorrido o inesperado: ao bater na porta dela e contar-lhe  fabulosa notícia, ela simplesmente termina o namoro com ele.

O pior de tudo é que já não havia como voltar atrás. Justin já havia aberto a mão de seu apartamento, seu antigo emprego e estava na fase adulta, completamente desamparado! A única pessoa a quem poderia recorrer, era a última a quem gostaria: seu pai.

Durante a infância seu pai sempre se demonstrara mal-humorado, ranzinza, reservado e tão direto que chegava a beirar a grosseria, o que o deixou ainda mais atemorizado ao pedir abrigo.

Após anos morando sozinho, o convívio de ambos poderia se tornar difícil, ainda mais se Sam, seu pai, descobrisse que o filho estava postando todas as coisas engraçadas/ridículas que ele dizia no Twitter para mais de 300 mil seguidores…

A história que conta a vida do próprio autor é um achado, mais do que engraçada, contém várias lições de moral e para deixá-los com um pouquinho de curiosidade, lá vão alguns trechos engraçados do livro:

Trechos do livro Meu Pai Fala Cada M*rda

“Escuta aqui, se alguém está sendo gentil e você não sabe quem é essa pessoa, saia correndo. Ninguém é gentil sem mais nem menos e, se isso acontecer, a pessoa pode levar a porra da gentileza para outro lugar.”

“Por que diabos você jogou uma bola na cara de alguém?… Bem, este é um motivo bastante razoável. Não posso fazer nada para aplacar a irritação do seu professor, mas eu e você estamos entendidos.”

“Acho que aquela professora não gosta de você, por isso não vou com a cara dela. Você fala muita merda, mas é um bom garoto. Quero que ela se foda!”

“A pior coisa que você pode ser é mentiroso. Tá, tudo bem, a pior coisa que você pode ser é nazista, mas a segunda pior é mentiroso. Nazista, um; mentiroso, dois.” 

“Só quero um pouco de silêncio… Meu Deus, isso não significa que eu não gosto de você! Significa apenas que, neste momento, gosto mais do silêncio.”

“Los Angeles é uma espécie de irmã mais velha de San Diego, mais feia e com herpes”

“As vezes, a vida deixa uma nota de 100 dólares em cima da sua cômoda e só mais tarde você percebe que foi porque ela te fodeu”

Gostou? Não esqueça de curtir e compartilhar:

2 comentários sobre “Resenha: Meu pai fala cada m*rda

Deixe uma resposta