Frases & Citações: Desafios do amor – Thaís Venzel


frases e citações / terça-feira, agosto 5th, 2014

Hoje venho trazer alguns quotes fofinhos do livro Desafios do amor, da Thaís Venzel, para vocês ficarem com vontade de ler o livro e participarem do nosso sorteio 😀 Vamos lá?

A verdade é que eu tinha certo receio de sair com eles. Não por achá-los estranhos. Eu até os admirava. Mas vivi a minha vida inteira apenas me dedicando aos estudos. Sobre o que a gente falaria? Aposto que ninguém lá iria querer falar sobre literatura brasileira.  Página 8 e 9

[…] Estava muito cansada de ser só uma boa menina, cuidada pelos pais e cuidando de si própria para não se magoar. Eu precisava mesmo era me arriscar, precisava entender o que era amar alguém e sofrer por esse amor. Página 12

A vontade que eu tinha era de pegar a língua dela e cortar no talo. Página 25

[…] São detalhes tão pequenos que nos trazem sensações tão imensas. Página 31

As coisas estavam se encaminhando tão bem que pensei que não tinha como melhorar. Sem dúvidas melhorar não poderia, mas pra piorar tinha bastante espaço… Página 32

Chorei muito, de uma forma como nunca tinha feito antes. Chorei durante horas e então adormeci. Página 35

[…] Apesar do percurso ser o mesmo, a dor que eu sentia não era igual a nenhuma outra. As lágrimas rolaram novamente. Página 39

Levantamos as três juntas e de mãos dadas entramos no consultório. Uma apoiando a outra sempre, era isso que importava. [..] Página 42

[…] No fundo sabia o que estava por vir, sabia o desenrolar dessa historia e o desfecho de tudo. Mas não desistiria ali. Página 43

Meu coração tinha, com toda a certeza, sido esmagado. Eu estava sem rumo, sem chão. Mas sabia que precisava ser forte por ela […] Página 43

A leitura sempre tem o poder de me levar a outros mundos e isso, às vezes, é tudo o que preciso no momento. Por isso ela se torna tão incrível. Página 46

Nenhuma palavra no mundo pode representar o alívio que senti quando ele me tomou em seus braços. […] É bom ter alguém do seu lado em momentos difíceis e aquele abraço significou mais do que qualquer pessoa poderia imaginar. Página 51

Não me importei com todos os rostos que se voltaram para mim na rua enquanto eu passava. Era como se o resto do mundo não existisse. Enquanto andava, senti meu coração se apertar, sendo esmagado pela dor e pela incredulidade. Página 59

[…] Ela não poderia saber. Eu teria que conviver com aquele segredo para sempre. Guardar tudo pra mim, sem que ninguém nunca descobrisse. Eu não podia suportar isso, eu não sabia o que fazer, nem o que seria de mim. Não estava preparada. Página 60

[…] Não tinha ódio, eu ainda o amava mais do que a qualquer homem no mundo. Mas sabia que não o perdoaria, pelo menos não tão cedo. Página 62

Perguntei-me como as coisas chegaram aquele ponto. Eu tinha tudo e agora não tinha mais nada. Percebi que eu vivi tempo demais em um mundo que eu mesma criei, mas que não me pertencia. Página 65

Eu estava sem chão, sem apoio, sem ninguém. Página 66

[…] Por mais errado que seja o tráfico, ele salvou a minha vida e a da minha mãe. Nós estávamos morrendo de fome. Tiraram nossa água, luz, telefone e na dispensa não tinha mais comida alguma. […] Página 78

A minha família estava completamente desestabilizada. Minha mãe era crucial para o convívio da nossa família. Ninguém se suportava diante da ausência dela. Página 83

Meu mundo caiu, desmoronou sobre minha cabeça. Eu estava debaixo de todos os escombros, ferida, cansada. O que seria da minha vida agora? Página 85

As lembranças só pioravam tudo, porque eu sabia que nunca mais haveria momentos como aquele. Página 91

Perdi novamente o chão. Estava completamente sozinha. Não sabia o que fazer […] Queria esquecer quem eu era, esquecer o que tinha visto. Sabia que cigarro não resolveria meu problema, mas me ajudaria a acalmar. Página 106

Ele sabia o que estava fazendo. Sabia que eu precisava desesperadamente de algo que me fizesse esquecer de tudo. Ele sabia que eu estava vulnerável e disposta a quase tudo. Página 109

Meus olhos se encheram de água. O amor da Júlia e o da Vick era tudo o que tinha me restado. Página 112

Já fazia tempo que eu tinha deixado de ser uma boa garota, minha vida mudou radicalmente nos últimos tempos. É claro que minha mudança não ocorreu do nada. Eu tinha os meus motivos, os piores deles. Também não se pode esperar muita coisa de uma adolescente de dezesseis anos… Página 115

[…] Papai não merecia ficar sozinho e era melhor que eu a conhecesse e a julgasse através do conhecimento e não por rancor ou mágoa. Página 122

Quando eu terminei com você Anne, não foi por que não a queria. Foi por que tive medo de fazê-la sofrer[…] Página 128

Espero que tenham gostado, um beijinho e até mais!!

 

 

 

 

Gostou? Não esqueça de curtir e compartilhar:

Deixe uma resposta