Resenha: Garota Interrompida

Título: Garota Interrompida

Autor: Susanna Kaysen

Editora: Única

Páginas: 190

Ano: 2013

Nota: 5/5

Sinopse: Quando a realidade torna-se brutal demais para uma garota de 18 anos, ela é hospitalizada. O ano é 1967 e a realidade é brutal para muitas pessoas. Mesmo assim poucas são consideradas loucas e trancadas por se recusarem a seguir padrões e encarar a realidade. Susanna Keysen era uma delas. Sua lucidez e percepção do mundo à sua volta era logo que seus pais, amigos e professores não entendiam. E sua vida transformou-se ao colocar os pés pela primeira vez no hospital psiquiátrico McLean, onde, nos dois anos seguintes, Susanna precisou encontrar um novo foco, uma nova interpretação de mundo, um contato com ela mesma. Corpo e mente, em processo de busca, trancada com outras garotas de sua idade. Garotas marcadas pela sociedade, excluídas, consideradas insanas, doentes e descartadas logo no início da vida adulta. Polly, Georgina, Daisy e Lisa. Estão todas ali. O que é sanidade? Garotas interrompidas.

O livro autobiográfico relata o período em que a escritora, Susanna Kaysen, passou internada em um hospital psiquiátrico devido a falta de foco (para com os estudos e vida amorosa) e tendências suicidas (auto mutilação), sendo posteriormente diagnosticada com personalidade limítrofe.

De acordo com os relatos da autora-personagem podemos ver que ao dar entrada no hospital, aos 18 anos, ela não estava “louca de pedra” como a algumas das demais pacientes de lá. Susanna parecia ser mais uma adolescente rebelde e incompreendida, até o momento em que ela tem um surto psicótico.

Durante sua estádia no hospital psiquiátrico McLean, somos apresentados a outras personagens que ao longo da história se tornam amigas de Susanna. Daisy, Lisa, Georgina e Polly, quatro jovens, cada uma delas com personalidades únicas e seus problemas mentais. Algumas das personagens não resistem ao peso de suas realidade e acabam tomando um rumo inapropriado, ao contrário de Susanna, que felizmente consegue deixar McLena e se casar, embora tenha se separado mais tarde.

A leitura progride rapidamente e o fato da história não ser narrada de forma cronológica soa como se alguém realmente estivesse contando sua história para gente, já que os relatos são descritos de acordo a autora vai se lembrando dos acontecimentos. Os capítulos são pequenos, iniciando sempre com uma ficha diagnostica do estado mental da paciente e com alguns trechos insanamente engraçados.

Apesar de eu ainda não ter assistido, fiquei sabendo que existe um filme baseado neste livro, contando inclusive com a participação da Angelina Jolie. E julgando apenas pelo trailler, parece que varias situações serão modificadas e acrescentadas na histórias…

Mas vou esperar para ver e assim que eu assisti-lo compartilharei aqui no blog as minhas impressões com vocês.

Beijos e abraços.

Gostou? Não esqueça de curtir e compartilhar:

2 comentários sobre “Resenha: Garota Interrompida

Deixe uma resposta