A influência da alimentação no seu estado emocional


Alimentação / quarta-feira, Março 14th, 2018

No cotidiano em si ocorrem diversos acontecimentos dos quais não há como prever ou controlar, mas se o nosso sistema nervoso estiver em bom funcionamento podemos ser mais flexíveis com as situações que não nos agradam.

“O que pensamos gera emoções, mas o que comemos também gera emoções”
Montse Bradford

Má alimentação e o Estresse

De acordo com Bradfort, um dos fatores que desencadeiam o estresse é a debilitação do sistema nervoso ocasionado pela má alimentação composta pelo excesso de carne e alimentos processados (salsicha, linguiça, Bacon, presunto…), massas (pão, pizza…), açúcar refinado, bebidas alcoólicas entre outras.

Além dos problemas físicos (obesidade, o colesterol, a prisão de ventre, fraqueza…) o consumo excessivo destes alimentos ocasionam emoções fortes (ira, impaciência, agressividade, hiperatividade…), o que torna atrativo a ingestão de estimulantes como o café, álcool e bebidas açucaradas a fim de gerar uma falsa sensação de energia que consequentemente gera mais sensações negativas como preocupação, instabilidade e medo.

Emoções geradas pela má alimentação no:

  • Fígado e vesícula biliar: agressividade, ira, impaciência, hiperatividade, inflexibilidade…
  • Estômago, baço, pâncreas: preocupações, excesso de pensamentos, apego ao passado, falta de auto-confiança, vitimismo.
  • Rins e bexiga: medo, falta de coragem…
  • Pulmões: isolamento

Toda alimentação, bebida e situação que gera adrenalina constante debilitam o sistema nervoso a longo prazo resultando em estresse e desequilíbrio emocional, tendo efeitos mais severos no organismo feminino. Então, se cuide bem.

“Que o alimento seja a tua medicina e a medicina teu alimento” – Hipócrates.

Deixe uma resposta