Resenha: A carta, a bruxa e o anel

a carta, a bruxa e o anel Título: A carta, a bruxa e o anel

Autor: John Bellairs

Sinopse: Rose Rita está chateada porque seu melhor amigo, Lewis Barnavelt, vai passar todo o verão num acampamento só para meninos. O que Rose não esperava é que a Sra. Zimmermann tivesse um plano para alegrá-la. Tudo começa quando a simpática feiticeira recebe uma carta, avisando que herdara uma fazenda abandonada e um suposto anel mágico. Ela convida Rose a acompanhá-la até lá, mas quando elas chegam, coisas muito estranhas começam a acontecer e as duas acabam se metendo numa aventura de arrepiar.

O terceiro livro da coleção de As aventuras de Lewis Barnavelt, também não deixa por menos.

Lewis vai para um acampamento de garotos e deixa sua nova amiga, Rose Rita, sozinha sem ter com quem brincar nas férias, deixando-a muito nervosa. Então a Sra. Zirmmeman decide convidá-la para passar uns dias na fazenda de seu primo Oley e mostra a menina uma carta estranha sobre um anel mágico, que seu primo havia lhe entregue antes de falecer.

Continuar lendo “Resenha: A carta, a bruxa e o anel”

Gostou? Não esqueça de curtir e compartilhar:

Resenha: O mistério do relógio na parede

o_mistério_do_relogio_na_paredeTítulo: O mistério do relógio na parede

Autor: John Bellairs

Sinopse: Qual o mistério no incessante tique-taque das paredes da mansão do assustador bruxo Izard? Lewis, um esperto garoto de dez anos, seu tio Jonathan, expert em magia, e a enxerida vizinha Sra. Zimmermann vão tentar desvendar este enigma. John Bellairs é um dos mais consagrados autores juvenis dos Estados Unidos.

O livro é o primeiro da coleção de John Bellairs, um dos mais consagrado autores juvenis dos Estados Unidos. O mistério do relógio na parede é um de seus livros mais conhecidos, porém ele também fez muito sucesso com o livro O rosto no gelo.

O mistério do relógio na parede é história de aventura e mistério é em partes um tanto engraçada, tudo começa quando um garoto de dez anos, chamado Lewis Barnavelt, se muda para casa de seu tio, Jonatham, pois segundo este, seus pais haviam morrido em um acidente de carro.

Continuar lendo “Resenha: O mistério do relógio na parede”

Gostou? Não esqueça de curtir e compartilhar:

Dia Internacional dos Quadrinhos

Oiie queridos leitores, hoje eu vou falar de um assunto muito importante para o mundo literário, O dia Internacional das Histórias em Quadrinhos (HQ), pra quem não sabe um HQ é uma forma de comunicação e expressão gráfica e visual, ou seja, sequência de quadros com desenhos e textos com o objetivo de narrar histórias de vários gêneros, você já deve ter visto uma, como por exemplo, a Turma da Mônica do Maurício de Sousa.

Veremos abaixo um pouco mais do surgimento e crescimento dessa arte.

The Yellow Kid

A primeira história em quadrinhos foi criada pelo americano Richard Outcalt em 1895, com o The Yellow Kid (‘O Menino Amarelo’), Mickey Dugan, o personagem principal, era uma criança careca, dentuço e com um sorrisão no rosto, e estava sempre usando uma camisola amarela. Apesar dos balõezinhos serem usados para mostrar as falas dos personagens, o garoto amarelo só se comunicava através de mensagens na camisola.

Nas primeiras décadas os quadrinhos tratavam de conteúdos humorísticos envolvendo travessuras de crianças e bichinhos, depois da crise na Bolsa de Valores em 1929 os quadrinhos foram invadidos pelo gênero de aventuras. As HQs Flash Gordon, de Alex Raymond, Dick Tracy, de Chester Gould e a adaptação de Tarzan por E. R. Borroughs iniciaram a Era de Ouro. A década de 30 foi marcada pelos gêneros ficção científica, policial e aventuras na selva.

Ao final da década, o primeiro super-herói, Superman, foi criado por Siegel e Shuster que vendeu seus direitos para a DC Comics.

Continuar lendo “Dia Internacional dos Quadrinhos”

Gostou? Não esqueça de curtir e compartilhar: