Resenha: A ilha perdida

ailhaperdidaTítulo: A ilha perdida – Série Vaga-Lume

Autora: Maria José Dupré

Sinopse: Na fazenda do padrinho, perto de Taubaté, onde Vera e Lúcia gostavam de passar férias, corre o rio Paraíba. Rio imenso, silencioso e de águas barrentas. Ao atravessar a fazenda ele fazia uma grande curva para a direita e desaparecia atrás da mata, mas subindo-se ao morro mais alto da fazenda, tornava-se a avistá-lo a uns dois quilômetros de distância e nesse lugar, bem no meio do rio, via-se uma ilha que na fazenda chamavam de “Ilha Perdida”. Solitária e verdejante, parecia mesmo perdida entre as águas volumosas.
Quico e Oscar, os dois filhos do padrinho, ficavam horas inteiras sentados no alto do morro e conversando a respeito da ilha.Quem viveria lá? Seria habitada? Teria algum bicho escondido na mata? Isto é um inicio de uma aventura escrito por Maria José Dupré. Henrique e Eduardo resolveram ir à ilha perdida, encontraram uma canoa, uma corda meio velha, eles iriam passar um dia na ilha, mas eles não podiam ir sem ninguém saber nada então eles inventaram uma mentira falando que no dia seguinte iriam visitar o fazendeiro vizinho; era um velho que morava a alguns quilômetros de distância. Continuar lendo “Resenha: A ilha perdida”

Gostou? Não esqueça de curtir e compartilhar:

Lista de Desejos – Literatura Nacional

listalivrosSempre gostei de ler livros de literatura brasileira, até mesmo os clássicos (quais somos obrigados a ler na época da escola)… Mesmo assim, por diversas razões, sempre preferi as histórias estrangeiras. Muitas pessoas julgam de forma generalizada os produtos de origem brasileira  e para não ser apenas mais uma delas, decidi há alguns anos que sempre leria uma determinada quantidade de livros de autores nacionais.

Claro que eu não saio por aí lendo qualquer livro apenas porquê o autor é brasileiro, mas procuro entre a categoria de livros nacionais aqueles que mais me agradam. Devo avisá-los que um livro com capa simpática já é meio caminho andado para me seduzir. Após ganhar meu interesse, observo o título, se este for interessante, por fim leio a sinopse, que para mim deve ser concisa, me convencendo que o livro merece ser lido. Sim, sou um pouco chata em relação a isso… Mas no meu papel de leitora, julgar um livro pela capa/título/sinopse faz parte… Sei que vocês me compreendem. Continuar lendo “Lista de Desejos – Literatura Nacional”

Gostou? Não esqueça de curtir e compartilhar:

Resenha: O moço loiro

o moço loiroTítulo: O moço loiro

Autor: Joaquim Manuel de Macedo

Sinopse: O misterioso Moço Loiro, acusado de roubo no passado, quer provar sua inocência e conquistar sua amada. Uma trama fascinante, criada por esse autor que consolidou a prosa de ficção do Romantismo em nossa literatura.

A história tem como tema central o furto da cruz da família de Honorina. Por diversas circunstâncias, seu primo Lauro foi considerado culpado e expulso de casa. Sete anos depois, um estranho, conhecido apenas por “Moço Loiro” aparece como penetra no sarau realizado por Tomásia e Venâncio. Continuar lendo “Resenha: O moço loiro”

Gostou? Não esqueça de curtir e compartilhar:

Resenha: Corrida infernal

corrida infernalTítulo: Corrida infernal – Série Vaga-Lume

Autor: Marcos Rey

Sinopse: No metrô de São Paulo, uma desconhecida entrega Maitê a Elaine. Trata-se de uma boneca encantadora e a menina ficou fascinada. Mas é aí que começam seus problemas. Elaine passa a ser seguida por uma perigosa quadrilha, comandada pelo diabólico Bóris. Para escapar desse bando satânico, Elaine e Vítor, seu namorado, vão ter que enfrentar uma corrida verdadeiramente infernal.

Elaine foi vender uma pulseira e na volta ao pegar o trem uma moça senta-se ao seu lado muito inquieta com uma boneca Maitê nas mãos. A moça pergunta onde Elaine morava e deixa a Maitê com ela descendo as presas. Continuar lendo “Resenha: Corrida infernal”

Gostou? Não esqueça de curtir e compartilhar:

Resenha: O gênio do crime

o genio do crimeTítulo: O gênio do crime

Autor: João Carlos Marinho

Sinopse: Este é o livro que inaugurou a turma do gordo. Seu Tomé é um homem bom, proprietário de uma fábrica de figurinhas de futebol. Existem as fáceis e as difíceis, fabricadas em menor quantidade. Quem enche o álbum ganha prêmios realmente bons. Mas surge uma fábrica clandestina que fabrica as figurinhas difíceis e as vende livremente. O número de álbuns cheios aumenta e seu Tomé não tem mais capacidade de dar todos os prêmios. Há uma revolta, as crianças querem quebrar a fábrica. Edmundo, Pituca e Bolachão, e mais adiante, Berenice, entram em cena para descobrir a fábrica clandestina. Acontece que não se trata de simples bandidos. A quadrilha é chefiada por um gênio do crime. A cabeça do gordo é posta para pensar, travando-se um espetacular duelo de inteligências, que começa pelo incrível sistema de seguir pelo avesso. Um livro que, de saída, conquistou o Brasil. Continuar lendo “Resenha: O gênio do crime”

Gostou? Não esqueça de curtir e compartilhar: