Como a escrita criativa pode ajudar nos momentos difíceis

Você já passou por um evento estressante ou uma grande transição, e ficou a noite em claro pensando sobre o assunto? Além de prejudicar o sono, a ansiedade nos distrai do trabalho, dos objetivos e nos faz sentir menos conectados conosco e com os outros.

A escrita com função expressiva pode ser uma alternativa para esvaziar a mente, lidar com a ansiedade e compreender as nossas necessidades no momento. Em vez de espectadores nos tornamos protagonistas de nossa própria história de vida. Transformar uma experiência difícil em uma história coerente pode trazer clareza e ideias para gerir a situação.

Como se expressar através da escrita

Nos próximos 3 ou 4 dias seguidos, anote suas emoções e pensamentos mais profundos sobre alguma experiência que vem afetando sua vida. Ao escrever, deixe seus sentimentos guiarem suas palavras, explorando o evento e como ele te aflige. Escreva continuamente por 20 minutos em um lugar tranquilo.

Se chamares de experiências às tuas dificuldades e recordares que cada experiência te ajuda a amadurecer, vais crescer vigoroso e feliz, não importa quão adversas pareçam as circunstâncias.

henry miller

Preparando-se para escrever

Não se preocupe com ortografia ou gramática, escreva apenas para si. Escreva sobre algo extremamente pessoal e importante para você, limitando-se apenas as experiências com as quais possa lidar no momento. Ou seja, não escreva sobre um trauma logo após o ocorrido, pode ser intenso demais.

Você pode escrever a mão ou digitar no computador, fique a vontade. Se quiser tente escrever também da perspectiva de outras pessoas envolvidas na situação. Por fim, depois que escrever: salve, apague ou queime – você decide.

Exercício Comprovado

A primeira pesquisa sobre os benefícios da escrita expressiva para saúde foi realizada em 1983 por James W. Pennebaker e Sandy Beall. Durante o experimento, alguns estudantes ​​foram orientados a escrever sobre eventos pessoais traumáticos durante 15 minutos por quatro dias seguidos.

Em comparação com um grupo de controle que escreveu sobre tópicos superficiais, os participantes que escreveram sobre experiências traumáticas relataram:

  • maior felicidade três meses depois do experimento;
  • visitaram o médico menos do que o normal durante um período de seis semanas após o exercício de escrita;
  • e pareciam ter um sistema imunológico mais saudável;

O experimento de Pennebaker e Beall foi replicado muitas vezes com resultados positivos. Os estudos subsequentes passaram a ser chamados de Paradigma Pennebaker.


Referências: James Pennebaker, Ph.D. , Universidade do Texas; Greter Good in Action, Sage Journals, Psychology Today e Reescrevendo sua História

Escrito por

Lena Rico

Operadora de Computador, formada em Sistemas para Internet pela Fatec e graduando Letras pela Univesp.