movimento pela linguagem simples

Você não precisa utilizar palavras longas, complicadas, jargões e siglas só para parecer mais inteligente, isso só dificulta o entendimento. Além disso, textos difíceis desestimulam a leitura, frustram, reduzem a produtividade e as vezes acabam gerando conflitos.

Escrever de forma clara, concisa e bem organizada faz com que as palavras cumpram seu objetivo enviando mensagens que realmente comunicam. Com base nesta reflexão, funcionários públicos americanos e britânicos se mobilizaram em 1940 para simplificar a linguagem utilizada nos documentos.

A partir de 1970, estruturou-se um movimento exigindo uma linguagem simples que ganhou força em países de língua inglesa. Nessa mesma época o governo da Suécia contratou o primeiro linguista para modernizar a escrita jurídica do país. E em 1979 fundaram na Grã-Bretanha a Campanha pelo Inglês Simples ( Plain English Campain ) exigindo textos mais compreensíveis.

O movimento pela Linguagem Simples no Brasil

No Brasil o movimento é novidade mas já existe um projeto de lei tramitando na Câmara Municipal de São Paulo. O objetivo é obrigar o poder público a utilizar uma linguagem simples que todas as pessoas entendam.

Segundo a Federação Internacional de Linguagem Clara, um texto com estrutura e design claro facilita encontrar, entender e usar as informações. Logo um texto que utiliza essa técnica valoriza e favorece a experiência do usuário.

Embora o tema seja recente aqui no país já temos gente engajada. Heloisa Fischer, jornalista e autora do primeiro livro em português sobre a linguagem simples já está dando curso na área.

Para que você saiba mais sobre o assunto veja as orientações para linguagem clara disponibilizadas pelo governo e continue me acompanhando.

Imagem: feita por Наталия Когут no Pixabay.

Escrito por

Lena Rico

Operadora de Computador, formada em Sistemas para Internet pela Fatec e graduando Letras pela Univesp.