Sinopse: Era para ser um simples intercâmbio na Inglaterra, se não fosse o fato de Clarisse ficar hospedada na casa de sua amiga Gio, uma garota que namora nada mais, nada menos do que um dos integrantes da banda Flight 08 , de quem é fã, assim como outras garotas também. Igual a um sonho maravilhoso, a brasileira conhece e acaba se envolvendo com Mark, um dos vocalistas da banda. Porém, como saber se realmente essa ficada é para valer ou não? Como é difícil o amor nessa fase da vida! Ainda mais quando o famoso vocalista é cobiçado pela maioria das meninas, que rejeitam e até invejam a estrangeira que, aparentemente, conquistou o coração… do líder do Flight 08. Mais do que uma viagem até outro continente e outra cultura, A vivência de Clarisse é uma jornada para dentro de si mesmo, em que os conflitos da personagem são postos à tona, de forma profunda, sensível e cativante. 

Título: A vivência de Clarisse Autora: Isabella Danesi Editora: Selo Novos Talentos da Literatura Brasileira/Novo Século Nota: 4/5

A vivência de Clarisse é narrado em 1º pessoa pela própria Clarisse (é claro!) e com uma leitura simples e fluída conseguimos adentrar na história facilmente. Sem falar que essa capa é linda, o título do livro é em alto-relevo e a capa mostra alguns pontos turísticos da Inglaterra, combinou perfeitamente com o enredo do livro.

Clarisse, uma garota de dezesseis anos, recebe em sua casa, via intercâmbio, uma estudante inglesa, Gio, e ambas se tornam muito amigas, como irmãs, e ao fim do intercâmbio de Gio Clarisse, ou Clair, volta para a Inglaterra com sua amiga/irmã para fazer o seu intercâmbio.

Já na Inglaterra Clarisse conhece inúmeras pessoas e dentre elas os meninos da banda Flight 08 — uma banda bem famosa da Inglaterra e que ela já era fã — dentre eles Mark lhe chama atenção desde o princípio e não tarda para ela perceber que gosta dele de verdade.

Mark é o tipo de garoto galinha, está sempre com uma menina diferente e parece ter medo de um relacionamento mais sério; logo no primeiro dia que se conhecem pessoalmente ele e Clair acabam ficando, só que Mark dá logo um jeitinho de deixar bem claro que foi só uma noite e nada mais. Durante todo o livro o relacionamento deles é assim, enrolado, e Clarisse não cobra nada dele, deixando ele completamente livre para se decidir.

[…] Eu olhava para aquelas menins histéricas e me dei conta de que já fora assim, antes de conhecer pessoalmente os integrantes da banda. Depois que você conhece os ídolos de perto, já não é a mesma coisa, porque deixam de ser uma fantasia. Página 67

Clarisse tem várias experiências no seu intercâmbio, que acaba durando mais tempo do que o planejado, e o legal é que ela está sempre fazendo reflexões, seja sozinha ou com Mark. E apesar do livro ser bem adolescente eu gostei, mas confesso que fiquei saturada com o relacionamento de Clair e Mark, que acabou ficando muito chato e sem graça.

Uma das coisas mais legais do livro é que ele é bem descritivo, percebemos como a cultura inglesa é diferente da nossa e teve diversas partes em que Clarisse conta um pouco da história dos lugares aonde passa, adorei isso. Outro fator é que a história foi tão bem escrita e tão verídica que as vezes pensei que de fato aconteceu.

Mas o diferencial do livro é o jeito que Isabella humanizou os ídolos (a banda), pois muitas vezes acabamos vendo os famosos com outros olhos — mesmo sabendo que eles são só pessoas — talvez até achamos que eles não enfrentam os mesmos problemas que nós, e ver como eles, como qualquer outro ser humano, estão sujeitos a erros e acertos foi bem legal; comecei até pensar em como seria passar alguns dias em companhia da banda que eu gosto, será que aquela pessoa que a mídia mostra é realmente daquele jeito por trás dos panos? Ou será que as vezes os famosos passam uma imagem errada de como são realmente? Fica ai algo para se pensar 😛

Como vocês já perceberam esse livro está recheado de frases legais e refletivas, por isso montarei um post só para mostrá-las 😀

beijos e até a próxima!

Bruna Silva

Bruna Silva

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing and typesetting industry. Lorem Ipsum has been the industry's standard dummy text ever since the 1500s, when an unknown printer took a galley of type and scrambled it to make a type specimen book. It has survived not only five centuries, but also the leap into electronic typesetting, remaining essentially unchanged. It was popularised in the 1960s with the release of Letraset sheets containing Lorem Ipsum passages, and more recently with desktop publishing software like Aldus PageMaker including versions of Lorem Ipsum.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close

Bruna

Operadora de Computador e Redatora Freelancer
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support