resenha piano vermelho josh malerman
Crítica Literária,  Livros Estrangeiros

Resenha | Piano vermelho

piano vermelho josh malerman resenha
Gênero:
Editora:
Ano:
Formato:
Página:
ISBN13: 978-85-510-0206-3
Ex-ícones da cena musical de Detroit, os Danes estão mergulhados no ostracismo. Sem emplacar nenhum novo hit, eles trabalham trancados em estúdio produzindo outras bandas, enchendo a cara e se dedicando com reverência à criação — ou, no caso, à ausência dela. Uma rotina interrompida pela visita de um funcionário misterioso do governo dos Estados Unidos, com um convite mais misterioso ainda: uma viagem a um deserto na África para investigar a origem de um…

Josh Malerman é cantor e compositor americano da banda de rock The High Strung e gosta de escrever seus livros ao som de trilhas sonoras de filmes de terror, como Grito de horror e Creepshow – Arrepio do medo. Seu romance de estreia é o famoso Caixa de pássaros e Piano Vermelho merece tanto destaque quanto.

livro piano vermelho josh malerman

"Ele se lembra de um piano vermelho. Tinta descascando. Um instrumento em uma sala onde não tinha o direito de estar." - pág 80

Conhecido por escrever histórias intrigantes e cheias de mistério, Malerman, não ousou muito em Piano Vermelho e seguiu a mesma fórmula que o levou ao sucesso. Com uma ambientação incrível, narrativa em terceira pessoa e um enredo sinistro, ele alterna entre o passado e o presente do protagonista Philip Tonka, ex-ícone musical de Detroit.

Philip está no Caminho. É assim que sempre o chamou. O Caminho. Não o Caminho Certo ou o Caminho Errado. Ele tem o cuidado de não especificar. Então, quando algum de seus amigos ou familiares pergunta se ele não anda bebendo demais ou se não tem ido aos bares com muita frequência, Philip sempre dá a mesma resposta.

Ei, sai fora. Estou no Caminho." - pág 15

página do livro piano vermelho josh malerman

Sem emplacar nenhum hit os Danes produzem outras bandas, se embebedam e buscam inspiração até que um membro do exército dos Estados Unidos os convida para uma viagem até um deserto na África a fim de solucionar um mistério a cerca de uma música poderosissima capaz de desativar até mesmo armas nucleares. Aventureiros, os Danes embarcam e seis meses depois, nos deparamos com Philip acordando de um coma aos cuidados da enfermeira Ellen.

Ela gosta desse trabalho. De verdade. Tem orgulho de ajudar outras pessoas, mesmo que a maioria não esteja consciente de sua ajuda. Prefere estar ali, acompanhando o progresso de um homem que ainda tem vida dentro dele, do que entornando coquetéis com as amigas na cidade grande. - pág 50

Com questionamentos filosóficos, metáforas interessantes e personagens psicologicamente fortes Piano Vermelho é um livro que cativa do início ao fim, facilitando a leitura com capítulos pequenos e belas páginas. Indicado para aqueles que gostam de terror psicológico e obviamente para quem gostou de ler Caixa de Pássaros.

Resenha escrita por: Lena Rico

Fashion Blogging formada pelo Centro Universitário Belas Artes, tecnóloga em Sistemas para Internet pela Fatec e Especialista em Produção de Conteúdo para Web certificada pela Rock Content

Fashion Blogging formada pelo Centro Universitário Belas Artes, tecnóloga em Sistemas para Internet pela Fatec e Especialista em Produção de Conteúdo para Web certificada pela Rock Content

Deixe uma resposta